LINKS RECENTES
Loading...

'CARNAVAL GOSPEL' CONTEXTO IMPRÓPRIO PARA O EVANGELHO - Walter McAlister

REFLEXÃO DO BLOG

O bispo ressaltou que é preciso se atentar para a forma de como vamos propagar o Evangelho.

No período de carnaval, muitas igrejas buscam um local para fazer seus retiros espirituais. Longe das festas e comemorações seculares. Mas, algumas igrejas podem fazer diferente e “ousar” no evangelismo, por meio de blocos de carnaval gospel. Abordando esse assunto, Walter McAlister, Bispo Primaz da Aliança das Igrejas Cristã Nova Vida, publicou sua opinião em seu canal no YouTube.

“Eu sei que existe isso, mas... Primeiro, carnaval é o que? É a festa da carne. Ela é pautada pela libertinagem. Ela é escorada por práticas espíritas. Tanto que no Marquês de Sapucaí, antes de começar a festa do carnaval, as mães de santo vão lá, varrem tudo e abrem alas para que os espíritos se manifestem”, conta o líder.

“Pode ter terreiro evangélico? Não, não pode ter terreiro evangélico. Pode fazer um despacho evangélico? Não, não pode fazer. O Evangelho não é como se fosse uma receita que você pode colocar em qualquer tipo de forma que sai um bolo cristão”, alertou.

Contextos para o Evangelho

Segundo Walter, o Evangelho encarna com o modo de viver. “Há certas coisas e certos contextos para o Evangelho que são impróprios. O Evangelho não é só uma mensagem. Ela incorpora, ela encarna com o modo de viver”, disse.

“Então, o show evangélico, um desfile evangélico, uma rave evangélica. Gente, estamos usando formas do mundo e olhe, a forma faz parte. O Marshall McLuhan dizia que o meio é a mensagem, né? Esse profeta da mídia canadense do século passado, ele disse que o meio é a mensagem”, pontuou.

Impróprio

“Não é só o que você diz, é como você diz algo. Não é só você pregar o Evangelho, é como você prega o Evangelho. E rebolar numa avenida não é evangelismo não. Me desculpe. Não é. Creio que seja um contexto impróprio para o Evangelho. Assim como apagar as luzes, botar luzes, estroboscópios, todo mundo pulando e dançando, também não é um contexto para o louvor. E há pessoas que chama isso de louvor gospel. Pelo amor de Deus! Perdemos a noção do ridículo”, disse.

“Nessa ânsia de sermos relevantes para o mundo, nós nos tornamos paradoxalmente profundamente irrelevantes e pouco cristãos”, finalizou.

Confira o vídeo na íntegra:


0 comentários: