LINKS RECENTES
Loading...

7 SELOS + 7 TROMBETAS + 7 TROVÕES + 7 TAÇAS = 7 ANOS DE GRANDE TRIBULAÇÃO

ESTUDOS BÍBLICOS




“E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos.” Apocalipse 5:1
“E os sete anjos, que tinham as sete trombetas, prepararam-se para tocá-las.” Apocalipse 8:6
“E clamou com grande voz, como quando ruge um leão; e, havendo clamado, os sete trovões emitiram as suas vozes.” Apocalipse 10:3
“E ouvi, vinda do templo, uma grande voz, que dizia aos sete anjos: Ide, e derramai sobre a terra as sete taças da ira de Deus.” Apocalipse 16:1

Resumo do Apocalipse
O Apocalipse, escrito pelo apóstolo João quando estava preso na Ilha de Patmos (Apocalipse 1:1-10), inicia com o majestoso aparecimento de Jesus Cristo, que diz: “Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer;” Apocalipse 1:19 Ou seja, o último livro da Bíblia não fala só de futuro, mas também do presente e do passado.
Há um recado introdutório de Jesus para as sete igrejas da Ásia, as primeiras destinatárias da carta (Apocalipse 1:4,11,20 – 3:22), que muitos entendem como uma profecia acerca das fases que a Igreja iria passar. Por exemplo, nesse entendimento, o relato sobre a Igreja em Laodiceia apontaria para a igreja de nossos dias. Entretanto, não vamos abordar esse assunto aqui.
Logo após, João é convidado para subir aos céus. “... Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.” Apocalipse 4:1 Este momento é interpretado como o arrebatamento da igreja. Apocalipse 4:1 – 5:14 descreve o contato do discípulo amado com o santuário celeste, para onde um dia a Igreja será levada (João 14:2,3,23).
Mas, em dado momento, o cenário volta-se para o planeta Terra. Começa-se a abrir os 07 selos (Apocalipse 6:1 – 8:6), depois toca-se as 07 trombetas (Apocalipse 8:7 – 14:5), 07 trovões anunciam um mistério (Apocalipse 10:3,4), 07 anjosfazem declarações (Apocalipse 14:6 – 15:8) e 07 taças são derramadas (Apocalipse 16:1 – 19:21). Essas revelações contêm fatos políticos e catástrofes naturais que definem um período de juízo de Deus sobre a humanidade chamado de A Grande Tribulação (Daniel 12:1; Mateus 24:21; Marcos 13:19; Apocalipse 7:14).
Mas o livro não termina aí. Após esse período de angústia, a Igreja celebra seu casamento com o novo rei da Terra, Jesus, quando Satanás é preso por mil anos e, ao ser solto, provoca sua última batalha, quando é julgado e condenado para sempre, junto a todos os ímpios da história. A partir daí, aqueles que escolheram amar a Deus, seja Igreja, Israel ou a humanidade, gozam da eternidade no Paraíso com o seu Senhor! Maranatha! Apocalipse 20:1 – 22:21


Sequenciais ou Paralelos?
Como podemos perceber, a maior parte do livro de Apocalipse (do capítulo 6 ao 19) trata-se do período chamado de Grande Tribulação, porém, surge uma pergunta:
Os fatos descritos nos 1°, 2°, 3°, 4°, 5°, 6° e 7° selos abertos, são antecessores ou paralelos com as 1°, 2°, 3°, 4°, 5°, 6° e 7° trombetas tocadas, as 1°, 2°, 3°, 4°, 5°, 6° e 7° declarações dos anjos e as 1°, 2°, 3°, 4°, 5°, 6° e 7° taças de ouro derramadas?
Exemplificando, as profecias da 1° trombeta ocorrerão após o 7° selo, ou poderá ocorrer entre um selo e outro?
Temos alguma base bíblica para comprovar que os selos, trombetas etc. são repetições de um mesmo período? Esse é um dos pontos que vamos analisar neste estudo.

1. A repetição do número Sete

O último livro da Bíblia nos apresenta muitas vezes o número sete:
07 Igrejas da Ásia (Apocalipse 1:4,11),
07 espíritos que estão diante de Deus (Apocalipse 1:4),
07 castiçais de ouro (Apocalipse 1:12,13,20),
07 estrelas (Apocalipse 1:16,20),
07 lâmpadas (Apocalipse 4:5),
07 selos (Apocalipse 5:1),
07 chifres (Apocalipse 5:6),
07 olhos (Apocalipse 5:6),
07 anjos (Apocalipse 8:2),
07 trombetas (Apocalipse 8:2),
07 trovões (Apocalipse 10:3),
07 cabeças do grande dragão vermelho (Apocalipse 12:3),
07 cabeças da besta (Apocalipse 17:3),
07 taças de ouro (Apocalipse 17:1)
07 montes (Apocalipse 17:9),
07 reis (apocalipse 17:10) etc.


2. Biblicamente, Deus já demonstrou diversas simbologias para tratar do mesmo período:
- Nos dois diferentes sonhos de Faraó, tanto as vacas gordas e as 07 espigas boas representavam os mesmos 07 anos de fartura, como as 07 vacas magras e as 07 espigas miúdas representavam 07 anos de fome (Gênesis 41:1-32). E José conclui com a seguinte frase: “o sonho foi repetido duas vezes a Faraó, é porque esta coisa é determinada por Deus, e Deus se apressa em fazê-la.” Gênesis 41:32
- Tanto o sonho de Nabucodonosor, da estátua com quatro tipo de metais (Daniel 2), quanto o sonho de Daniel com quatro animais (Daniel 7) representavam os quatro impérios que governaram o mundo dos homens.
- Desde Gênesis a Malaquias, festas, rituais de sacrifício, atos proféticos, canções, poemas e profecias apontavam para o momento que Jesus morreria no Calvário. Por exemplo, o sacrifício de Isaque (Gênesis 22), a Páscoa (Êxodo 12), Salmos 22, Isaías 53 etc.
- O próprio Jesus usou de várias figuras diferentes, através de parábolas, para ensinar verdades iguais. Por exemplo, Jesus contou a parábola do casal na cama (Lucas 17:34), da dupla moendo (Lucas 17:35) e da dupla no campo (Lucas 17:36) para falar do mesmo assunto: a Sua segunda vinda.

3. No Apocalipse, embora os símbolos sejam diferentes, a mensagem que se quer passar é a mesma. Perceba:
- Os 07 castiçais de ouro representam as 07 Igrejas da Ásia e as 07 estrelas são os anjos dessas igrejas (Apocalipse 1:20);
- As 07 lâmpadas simbolizam os 07 espíritos que estão diante de Deus (Apocalipse 4:5) e os 07 chifres e 07 olhos que estão sobre o Cordeiro (Apocalipse 5:6);
- As 07 cabeças do dragão e da besta representam 07 montes e sete reis (Apocalipse 17:9,10);
- Sendo assim, embora descrevam algumas situações diferentes, os 07 selos, 07 trombetas, 07 anjos, 07 trovões e 07 taças de ouro são sequências de fatos que podem representar um mesmo período chamado Grande Tribulação. Os fatos descritos nos 07 selos, por exemplo, não acontecerão necessariamente antes das 07 trombetas, mas sim, simultaneamente.
- Outro exemplo são os últimos três anos e meio da Grande Tribulação citados de várias maneiras por todo o livro: um tempo, e tempos e metade de um tempo (Apocalipse 12:14), quarenta e dois meses (Apocalipse 11:2; 13:5) ou mil duzentos e sessenta dias (Apocalipse 11:3; 12:6).

4. O mesmo fato descrito por ângulos diferentes:
Após receber as revelações sobre a Grande Tribulação através dos selos, é como se, depois, a “fita voltasse” e o apóstolo João visse novamente o mesmo período, porém, por outro ângulo.



SEMELHANÇAS ENTRE OS SELOS, TROMBETAS, VISÕES E TAÇAS
2
No 2° selo aparece um cavalo vermelho, na 2° trombeta 1/3 do mar se torna sangue e na 2° taça o mar se torna sangue.
3
Na 3° trombeta e na 3° taça os rios são atingidos como juízos sobre os moradores da terra.
5
Na 5° trombeta declara que os ímpios sofrerão um tormento como do escorpião, quando fere o homem. Na 5° taça, os ímpios morderão suas línguas de dor por causa das suas chagas.
6
Na 6° trombeta é mencionado o rio Eufrates, de onde se vê um exército de 200 milhões. Na 6° taça o rio Eufrates seca, pelo qual os reis do Oriente passarão para a batalha do Armagedom.
7
7° selo, a 7° trombeta e a 7° taça citam vozes, trovões, relâmpagos e terremotos.
Na 7° trombeta, bem como na 7° taça ocorre chuva de saraiva.
Além disso, na última trombeta, o último sinal e a última taça acontecem também a mesma coisa: o anúncio da vinda de Jesus nos céus para julgar pessoalmente e estabelecer Seu reino.



Veja agora os selos, trombetas (shofar) e cálices numa ilustração e notem as semelhanças:




Embora as semelhanças acima se sucedam ordenadamente, há alguns fatos que não estão relacionados aos mesmos números, mas comprovam que os fatos entre os selos, trombetas, visões e taças se entrelaçam. Por exemplo:
- No 1° selo, um cavaleiro recebe uma coroa e sai para vencer, porém é apenas na 7° trombeta que encontramos a revelação da besta (ou seja, o líder mundial desse período) recebendo o trono do próprio Inimigo.
- Uma epidemia fatal é citada durante o 4° selo, bem como uma terrível chaga é citada na 1° e na 5° taça.
- No 6° selo, bem como na 4° e na 5° trombeta, citam o escurecimento do sol.

Enquanto durante a abertura dos selos nos parece que os males do planeta estão surgindo como uma mera naturalidade, no tocar das trombetas aparecem muitas vezes a atuação dos demônios e no derramar das taças é enfatizado o juízo sobre os que provocaram a ira de Deus, cada um recebendo sua condenação.

5. Por que o número 07?
Já vimos, por alguns exemplos acima, que a repetição dos fatos é para que possamos ver a Grande Tribulação por vários ângulos diferentes, porém, porque o número sete foi escolhido?
Não encontramos a resposta para esta pergunta no livro de Apocalipse. Pelo menos, não claramente. Para responder essa questão, precisamos voltar ao livro de Daniel:

O profeta Daniel viveu um período em que o Reino do Sul (Judá) era escravo do império Babilônico. Ele meditava nas profecias e sabia que o tempo do cativeiro não poderia ultrapassar os 70 anos, como Jeremias havia profetizado antes do cativeiro iniciar (Jeremias 25:11,12; 29:10). Quando chegou este período, Daniel clamou a Deus, pois sabia que os judeus, mesmo após tanto sofrimento, continuava longe de Deus. Foi quando o anjo Gabriel trouxe um esclarecimento:
“Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.” Daniel 9:24
A palavra semana na Bíblia pode não significar sete dias, mas sete anos conforme podemos ver em Gênesis 29:27,28; Levítico 25:8. No caso da profecia de Daniel, 69 semanas de anos se cumpriram desde a ordem do império Medo Persa para reconstruir Jerusalém até a morte do Messias (Daniel 9:25,26). 69 semanas vezes 7 anos é igual a 483 anos.
Após a morte de Jesus, um parêntese é aberto na história, e a era da Igreja inicia-se. Mas, quando a Igreja for levada daqui, o relógio de Israel voltará a correr. A última semana nos revela que 07 anos ainda estão por vir para que a conversão dos hebreus ocorra de forma plena. E como saber que os últimos 07 anos que faltam estão ligados aos 07 selos, trombetas, anjos, trovões e taças do Apocalipse? A resposta está ao unirmos os dois livros:
“... e o príncipe, que há de vir... firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.” Daniel 9:26b,27

6. Os Sete Anos em Gênesis
Entendendo o livro de Daniel, que nos aponta a última semana como os 07 anos de Grande Tribulação, podemos perceber outras pistas de Deus acerca desse período no próprio livro de Gênesis:

- Na história de Noé, este viveu num período depois do arrebatamento de Enoque (Gênesis 5:24) e passou por um período de juízo sobre a terra. Interessante que na história de Noé, o número que mais se repete também é o 07, como no Apocalipse. Veja:

* 07 pares de cada animal limpo deveria entrar na arca (Gênesis 7:2), bem como 07 pares de cada ave (Gênesis 7:3);
* Todos entraram na arca 07 dias antes do dilúvio (Gênesis 7:4,10) e este começou no dia 17 (Gênesis 7:11);
* Pela justiça de Noé, 07 pessoas foram salvas entrando com ele na arca (Gênesis 7:13);
* A arca repousou no mês 07, no dia 17 (Gênesis 8:4);
* Noé aguardou prazos de 07 dias para enviar a pomba (Gênesis 8:10,12);
* A terra estava seca no dia 27 do segundo mês (Gênesis 8:14).

Como podemos ver, são cerca de 13 vezes que o número 07 se repete nessa história. E justamente é este acontecimento que o Senhor Jesus compara ao período de Grande Tribulação: 
"E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem." Mateus 24:37-39.

Para entender que Jesus está se referindo à Grande Tribulação, compare os sinais de Mateus 24 e Lucas 21 com o livro de Apocalipse.

Outra grande evidência de que os juízos dos selos, trombetas e taças ocorrerão durante um período de 07 anos é o estudo do período de governo do Anticristo. Daniel divide esse período em dois: a metade da semana (3 anos e meio) quando o Anticristo governa nações permitindo Israel sacrificar normalmente, e a outra semana (mais 3 anos e meio) quando o Anticristo perseguirá Israel, começando com a proibição do culto no templo em Jerusalém, até se assentar no templo como Deus.

(Por João Rodolfo/AmeaBíblia)

0 comentários: