A VERDADEIRA IDENTIDADE DO JUDEU

- ISRAEL


Se perguntarmos a algum entendido qual é a personagem mais importante do Antigo Testamento, logo se ouvirá a resposta: Abraão, Moisés ou o Rei David.
Mas entre os numerosos personagens que deixaram a sua marca na nossa identidade como modernos leitores da Bíblia, talvez não haja nenhum tão poderoso como o quarto filho de Jacob: Judá.
Os descendentes de Judá tornaram-se mais poderosos do que os seus pares, dando até o nome à própria religião do judaísmo. 

QUARTO NA LINHAGEM, PRIMEIRO NA HONRA
Os judeus pelo mundo fora consideram-se descendentes dos filhos de Jacob, as 12 tribos de Israel. Dentre os 12 filhos do patriarca, o de maior importância é sem dúvida o quarto na linha genealógica, Judá. Não sendo o mais velho dos filhos, foi no entanto o mais influente. Foram os seus descendentes que a capital do seu Reino de Judá numa pequena cidade no topo de uma colina chamada Jerusalém.

ORIGEM BÍBLICA DO NOME
A seguir à destruição do Templo, a nação inteira adquiriu o nome "da Judeia", que eventualmente passou a "judeus." Mas, o que é um "da Judeia"
Lemos no Livro de Génesis o relato da matriarca Leia, que "ficou grávida mais uma vez e teve outro filho. A esse deu o nome de Judá e disse: Desta vez louvarei a Deus, o Senhor." (29.35).
A palavra hebraica usada para elogiar ou agradecer a alguém é "hodaya." 
Leia disse: "Louvarei" - odeh - e nomeia Judá: "Yehuda."

AUTORIDADE REAL E MESSIÂNICA
Na sua bênção final dada aos seus 12 filhos, Judá tem uma posição especial, sendo-lhe profetizada autoridade real e messiânica:
"O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de autoridade dentre Seus pés, até que venha Aquele a Quem pertence; e a Ele obedecerão os povos" (Génesis 49.10).
A Judá foi dada autoridade sobre os seus próprios irmãos: "...diante de ti se prostrarão os filhos de teu pai" (Génesis 49:8).
O próprio Balaão viu também o despontar futuro desse dominador: "...de Jacob procederá uma estrela, de Israel se levantará um cetro..." (Números 24.17) e "De Jacob um dominará..." (24.19).

Os profetas "viram" a linha messiânica vindo desde Judá, passando pelo rei David, e culminando no filho de Maria de Nazaré, a Quem foi dado o Nome de Jesus, o Salvador do mundo - Mateus 1.1-3; Lucas 3.33-34.
O Messias Jesus nunca negou a Sua origem humana, sendo honrado na eternidade como "o Leão da tribo de Judá, a Raiz de David" (Apocalipse 5.5). 
Na Sua última comunicação revelada à Igreja, Jesus identifica-Se novamente como "Raiz e Geração de David, a resplandecente Estrela da manhã" (Apocalipse 22.16).

Se Jesus, o Messias de Israel, Se identifica com o Seu povo e com a Sua linhagem tribal - Judá - de onde descendem os judeus actuais, seria de esperar que eles se orgulhassem de ter na sua família a semente do próprio Deus, não O renunciando, mas abrindo-lhe as portas dos seus corações.
Mas chegará o dia em que os remanescentes de Judá reconhecerão n'Ele o verdadeiro Messias, o Leão da tribo de Judá, e então chorarão pelos seus pecados, recebendo da parte do "irmão mais velho" o perdão integral e a aceitação no Reino do Seu Pai.

Fonte: Shalom, Israel!


0 comentários: